top of page

Este PdV não é para velhos

Atenção, não queremos praticar aqui nenhum tipo de discriminação, nem nada que se pareça. Quando dizemos que "este" ponto-de-venda não é para velhos, referimo-nos aos velhos hábitos, aos métodos vistos e revistos, às abordagens que já cheiram a mofo. O ponto-de-venda ideal, aquele que chegará mais cedo ou mais tarde, não é para velhos que teimem em não se adaptar. Porque o PdV, como tudo na vida, pede evolução. Pede inovação.


Fonte: https://vti.com.vn/retail-digital-transformation-and-innovation-top-trends/


Nenhum cliente (acreditamos nós) deseja ter uma má experiência quando compra. E embora as compras online cresçam a cada ano - segundo o Barómetro E-commerce da Marktest mais de 60% dos portugueses fazem já compras online - as lojas continuam a representar um dos principais pontos de contacto com os clientes. Por isso, descuidar o Ponto de Venda no que toca a inovar e cativar o cliente é, e continuará a ser, um erro.

Se as marcas querem apresentar-se frescas, inovadoras, atuais, podem e devem fazê-lo no momento da compra física!


Mas como? Bem, existem várias formas. Desde as tecnologias vanguardistas, como realidade aumentada, hologramas, ou inteligência artificial, até aos ecrãs interativos e assistentes virtuais. Tudo isto corretamente aplicado à génese da marca e ao propósito da campanha, criará fascínio e curiosidade no consumidor, o que poderá conduzir a uma experiência interessante que gostará de repetir. Em suma, inovação no Ponto de Venda pode fidelizar clientes.



Enquanto existirem clientes dispostos a visitarem lojas, haverá oportunidades de surpresa e diferenciação para as marcas . É esse o Ponto de Venda que não é para velhos: um espaço onde a inovação faz a diferença!

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page